Estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental da rede municipal de Sobral conquistaram 18 medalhas de bronze na 3ª fase da Olimpíada Brasileira Geo-Brasil (OGB) 2018, que compreende a IV Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG) e a II Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra (OBCT).

Em Sobral, 162 estudantes participaram da última fase on-line. As escolas municipais premiadas foram: EIEF Elpídio Ribeiro da Silva e EF Professora Maria José Santos Ferreira Gomes, ambas com seis medalhas; e EIEF Deputado Pery Frota e EIEF Manoel Marinho, com três medalhas cada uma.

TURMAS OLÍMPICAS

Além das seis medalhas de bronze garantidas nesta competição, a escola municipal Professora Maria José Santos Ferreira Gomes (Bairro Dom José), coleciona várias premiações em outras competições olímpicas. Segundo o diretor Pedro Grandson, a escola oferece turmas olímpicas com aulas extras até aos sábados para os estudantes interessados em participar de olimpíadas. Ao final do ano, a escola promove o Prêmio Persistir, no qual são homenageados os alunos que obtiveram destaque em várias áreas.

"Neste ano participamos de 13 olimpíadas e estamos descobrindo outras das quais queremos participar no próximo ano. E envolvemos no trabalho para as olimpíadas professores de Matemática, Ciências, História, Geografia e Português. Eu acho que esse é o caminho para ampliar o currículo dos meninos e diversificar as aulas. Os alunos medalhistas se tornam referências na escola e exemplo para os demais estudantes", explicou.

Ana Pabline Duarte, estudante do 9° ano, participa de competições olímpicas desde 2017 e já coleciona duas medalhas de ouro. Ela também foi uma das medalhistas na terceira fase da OGB 2018. "Foi a primeira vez que a gente participou e a prova realmente serviu para somar ao nosso conhecimento", disse.

Assim como vários estudantes da rede pública municipal, Ana Pabline também almeja grandes oportunidades. "Primeiro vou realizar o sonho da minha avó. Ela quer alguém na família que se forme em uma faculdade e eu pretendo me formar em Física. Depois vou procurar fazer meu mestrado, meu doutorado. O que eu planejo desde os 11 anos é trabalhar na NASA, nos Estados Unidos", conclui a estudante.