Na tarde desta quarta-feira (07/08), o prefeito Ivo Gomes conheceu a proposta do projeto de implantação da coleta seletiva em Sobral, que tem como objetivo dar uma destinação adequada para o lixo doméstico. Essa é uma das ações da nova Política de Resíduos Sólidos no município.

Durante a reunião, que contou com a presença do consultor da In3city, Haroldo Rodrigues, e representantes das secretarias de Serviços Públicos (Sesep) e do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), foi decidido quais os primeiros bairros a receber o projeto-piloto: Sinhá Sabóia, Cohab I e II.

“O primeiro passo é sensibilizar a população para que separem o resíduo seco, que são os materiais recicláveis, como papel, papelão, plástico e alumínio, e para que levem esse lixo aos pontos de coleta, que serão denominados como Ecopontos ou Ilhas Ecológicas. No caso das Ilhas, elas serão instaladas em locais estratégicos dos bairros, como escolas, postos de gasolinas, postos de saúde e outros pontos que serão identificados para esse recebimento”, disse Cirliane Viana, do Núcleo da Coleta Seletiva da Secretaria de Serviços Públicos (Sesep).

Das Ilhas ou Ecopontos, os materiais serão levados para as Centrais Municipais de Resíduos Sólidos (CMR’s) e lá receberão um tratamento, onde serão segregados, separados, enfardados e pesados, e então repassados para indústrias, é a partir dessa comercialização que as associações serão mantidas.

A ação respeita a Lei 2.305 (Política Nacional dos Resíduos Sólidos), que entre suas determinações diz que os municípios devem implantar a coleta seletiva prioritariamente com a participação de associações de catadores. Além das vantagens ambientais, a coleta irá diminuir os gastos do município com a Central de Tratamento de Resíduos (CTR), que ficará responsável apenas por materiais que não poderão ser reutilizados.